Galera, primeiramente, esse post é dedicado a pessoas corajosas! Pois o relato abaixo é de uma viagem que poucos teriam coragem de encarar. Eu não encararia!

Esse post é o relato do nosso grande parceiro Ivan Lucas Vargas, não preciso dizer o quão doidão é esse Harleyro, tirem suas conclusões. kkkkkk

O Ivan foi com um grupo de amigos em uma trip de ida e volta de 16 dias entre Sampa e o Deserto do Atacama (Chile).

Os brutamontes fofinhos montaram em suas Harleys e pilotaram muitoooo… passando por 4 países diferentes, levantando poeira pelas estradas do Brasil, Paraguai, Argentina e Chile.

Vale ressaltar que este relato é uma cópia autorizada dos posts que o Ivan fez no Facebook. Eu paro de falar por aqui e deixo por conta do Harleyro… Divirtam-se!

 

Fotos da Viagem!!!

 #day1

Saída rumo a foz. Logo no começo da viagem identificamos um probleminha com uma das motos, o que nos fez diminuir o ritmo e dormir em Campo Mourão. Em Londrina pegamos a indicação de uma oficina em Ciudad Del Este e o Ands e Gui Foster tocaram até foz direto pra agilizar a solução do problema no dia seguinte. 750kms rodados e chuva pra atrapalhar um pouco, mas viemos bem!

#day2

Partimos pra Ciudad Del Este pra reunir o grupo novamente e continuar viagem. Fomos muito bem recebidos na Legend Motorcycles onde finalizados os ajustes, algumas comprinhas e partimos sentido Asunción. Estrada cheia e tensa… muitos caminhões e movimento no acostamento… encontramos um hotel em Coronel Oviedo, próximo a Asunción e ficamos por aqui mesmo. Amanhã, arrrrgentina

#day3

Saímos de Coronel Oviedo/PY rumo a Argentina. Cidadezinha bem ruim pra dormir, com poucas opções de hotel e anfitriões não muito simpáticos, mas tudo bem. Na fronteira as motos fizeram sucesso e rolou até uma selfie com o pessoal todo da imigração 😀. Já em solo argentino (ufa), começam as retas intermináveis… piloto automático no talo e um hotel classe média em Saez Peña pra descansar um pouco… calor de 40 graus e tempo abeeeerto!

#day4

Rumo a Salta, no pé das cordilheiras. 700km de retas e mais retas, com trechos longos no meio do nada. 180km entre um posto e outro em um trecho da viagem. Dia bom, 40 graus de novo e problemas com dindin pra abastecer a moto (solo efectivo. Odeio essa frase kkk). No fim do dia pegamos uma migalha de chuva pra refrescar e chegamos em Salta, conforme planejado. Muitos insetos e passarinhos na estrada, o que exigiu bastante reflexo pra desviar de tudo, né Gisele Santa Rosa Vargas?

#day5

Até agora, foi O DIA! A melhor paisagem da viagem até então! Muuuitas fotos (resumi ao máximo aqui). Chegamos a San Pedro de Atacama, finalmente. 1/3 da viagem done ✅! Saímos de Salta rumo ao Atacama bem cedo via Ruta 9, em uma estradinha extremamente, mas extremamente, linda. Aos amigos motociclistas, recomendo fortemente! Paramos bastante para fotos, o que nos atrasou um pouco.

Chegamos a Paso de Jama na fronteira com o Chile tarde, por volta das 17h. Tínhamos Ainda 160km de cordilheira pra enfrentar, meio a várias recomendações de motociclistas no caminho sobre neve e frio no trajeto que estávamos prestes a pegar. Frio na barriga, mas já que estávamos ali, não tínhamos muita opção senão enfrentar a natureza.

E assim fomos, iniciamos a subida 10 min antes de fechar para subida à fronteira e calculando os minutos para que não escureça com a gente no meio da cordilheira, com o coração na mão. Sorte ou não, não pegamos neve, -5 de temperatura ambiente e somente um pouco de chuva em meio aos picos cheios de neve. Paisagem estonteante!!! E, pra fechar com chave de ouro, o Gui Fosterr saiu um pouco mais tarde e resolveu pegar uma rota menos nutella, pegando 300km de estrada de cascalho, gracas aos GPS malucos kkk. No fim, tudo certo e muitas histórias pra contar.

#day6

Dia light, para conhecer a cidade. À primeira vista a cidade assusta um pouco, mas em poucas horas já nos ambientamos e começamos a explorar o que tinha de bom pra fazer. Fechamos os passeios pros próximos dias, algumas compras e comer e beber um pouco, afinal estávamos merecendo! Pessoas do mundo inteiro, muitos mochileiros e histórias Malucas de pessoas que vieram falar conosco atraídos pela camiseta… o clima da cidade é muito show!

#day7

Conhecendo Atacama. Fomos ao Geiseres del Tatio, onde brota água quente do chão no meio da cordilheira a mais de 4000 metros de altitude. Depois, conhecemos o Vale de la Luna, com paisagens incríveis e muita caminhada pra conseguir fotos bacanas. Me senti em outro planeta nesse lugar. A história da formação da paisagem aqui é sensacional, e só estando aqui mesmo pra se ter a dimensão do que é a natureza. Ah, teve até churrasquinho de Lhama… muito bom! Algumas fotinhas do dia abaixo

#day8

Último dia em San Pedro de Atacama. Fomos ao Pedras Hojas, salar do Atacama e algumas lagunas. Lugares incríveis! Última breja na cervejaria (se é que se pode chamar de cervejaria) e bora pra Santiago!



#day9

Saída de San Pedro de Atacama rumo ao sul do Chile. San Pedro só tem um posto que fica dentro de um hotel e nem teto tem. Pra que? Não chove mesmo… foi um dia inteiro de deserto, com paisagens muito curiosas, beem diferente do que estamos acostumados no Brasil. Atravessar o Chile exige cuidado, pois postos de gasolina não são abundantes. Neste dia, a distância entre um posto e outro chegou a 240km. Retas também intermináveis e curvas em alta velocidade que exigem cuidado.

Passamos pela famosa manos del desierto e, por indicação de um casal que conhecemos em um dos passeios, resolvemos dormir em uma vila chamada Bahia Inglesa, a +- 800km de San Pedro. A vila estava lotada e sofremos pra encontrar um hotel… depois de algumas horas (rolou até uma inspeção detalhada na moto às 22h), encontramos uma cabaña bem ajeitada na tal vila. Ao fim, rango e uma cervejinha pra comemorar a loucura do dia!

#day10

De Bahia Inglesa para Santiago. Saímos bem cedo pra rodar os quase 900km do dia. No #day9 comentei sobre os postos de gasolina e as distâncias, e nesse dia a distância se superou…. foram 350km sem postos no trajeto. Resultado? Utilizamos o galão de gasolina que o Anderson Stéfano trouxe e utilizamos também as técnicas de economia de combustível do Gui Foster para que todo mundo conseguisse chegar no cheiro até o posto. Descidas na banguela, vácuo e calma pra conseguir chegar! A costa do Chile é muito bonita, com paisagens fenomenais e bem diferentes. Ver o mar a direita e o deserto/ montanha à esquerda com a estrada dividindo é muito louco. Fomos muito bem recepcionados em Santiago pelo Gino Giraudo T e sua família e depois de um bate papo rápido, hotel e cama… dia cheio! #atacama2017 #chile2017

#day11 e #day12

Resolvemos mudar um pouco o planejamento inicial e ficamos 2 dias em Santiago. Cidade show de bola, com varias opções de coisas a fazer e conhecer. City tour, Vinícola, charutos e bons restaurantes foram a programação. Relax pra encarar a volta a SP!

#day13

Travessia Santiago/Chile a Mendoza/Argentina, onde estão os famosos Caracoles! Paisagem impagável, de tirar o fôlego. A cordilheira é realmente algo impressionante, e da vontade de parar a moto a cada curva para ficar observando as formações das montanhas. Quase hipnotizante… trajeto curto de 350km, mas que tomou o dia inteiro… muitas paradas pra fotos e fronteira bem demorada (+- 2h). Sem duvida foi também um dos trechos mais bonitos da viagem!

#day14

Objetivo: 700km de Mendoza a Cordoba, via los cumbres, trajeto que não conseguimos fazer quando fomos pra mendoza em junho de 2016 por conta do mal tempo e da neve na tal montanha. Dia cheeio tb, com direito a troca de óleo no meio da estrada :). Pegamos o por do sol no alto de los cumbres, o que rendeu um visual extraordinário! As fotos dizem por si… trajeto com muitas e muitas retas, comum no interior da Argentina. Bastante vento também, mas bem menos do que pegamos no ano passado. Chegamos em cordoba já de noite, quebrados e com fome. Jantamos, algumas brejas e cama!




#day15

De Cordoba a Goya. Cortando o interior da Argentina em direção ao Brasil. +- 800km rodados, com bastante chuva pela manhã. Estrada complicada, com obras por todo lado e muitas ondulações na pista. Um tobogã praticamente, com a surpresa de não saber onde começa e onde termina :). A paisagem já é bem tropical, o que resulta em metralhadas de bichos no capacete/óculos/viseira/joelhos/mão, etc… tivemos mais uma sessão Mecanica, pois o meu escapamento estava praticamente pendurado na moto 🤔. Gambiarra feita, acabamos chegamos tarde em Goya, loucos por achar lugar no hotel casino da cidade massss, estava lotado 😩. Por sorte (ou não), encontramos um apart hotel de pescadores, beeem rústico mas ok pra dormir. Pizza e Quilmes pra fechar o dia e cama, a 1h da manhã… puxado!

Agradecimentos

Fim da nossa aventura,  foram 9.312kms rodados em 19 dias! Essa, sem sombra de dúvidas, foi a viagem mais difícil da minha vida. Passamos pelos extremos de alegria, cansaço, frio, calor, paciência, stress. Nos perdemos, nos encontramos, conhecemos cidadezinhas que não estavam no planejamento, mas que fizeram com que conhecêssemos pessoas sensacionais.

Se eu pudesse contar, acho que conheci mais de 10 pessoas que fizeram do nosso planejamento uma viagem melhor. Pessoas que deram dicas de lugares e cidades para conhecer, postos de gasolina, vários motociclistas dando dicas sobre a estrada e o clima que estávamos prestes a enfrentar, até um grupo chamado RAGMI, neste evento representado pelo Ariel Soto que apareceu do nada quando a gente mais precisou. Mais uma vez, obrigado meu amigo! Agradeço também ao Luciano e a Joana, também membros do grupo, pela pronta ajuda na fronteira. Me impressionou muito, mas muito mesmo, a efetividade deste Grupo. Farei posteriormente um post exclusivo sobre esse assunto, mas já queria agradecer ao Ariel, que apareceu na hora certa!

#end

Aos caveiras Anderson StéfanoFernanda Lucas (caveira plus), Gui FosterAngel Val e Márcio, orgulho de ter amigos como vocês. Foi simplesmente sensacional. Não tenho palavras para descrever a parceria de vocês! E, finalmente, o mais especial de tudo foi a parceria da minha linda Gisele Santa Rosa Vargas, que aguentou todos, mas todos mesmo, os perrengues da viagem. Meu amor, te amo demais! Muito obrigado por tudo! Não há selo coxinha ou Nutella pra você, mas sim um mega selo roots!

 

Caso queiram mais detalhes da viagem, é só chamar pro boteco… mais cuidado, porque provavelmente em uma noite não vou conseguir contar metade dos causos 🙂

Obrigado a quem acompanhou o dia a dia da viagem. Minha intenção era justamente desmistificar um pouco essa viagem, principalmente aos amigos motociclistas que sonham em fazê-la um dia.

 

Bjs a todos!

Ivan Lucas Vargas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *